Associação de pais do Centro Cultural publica nota crítica à gestão da Secretaria da Cultura

0
Pais fazem protesto num evento da Secretaria da Cultura

A Secretária da Cultura, Ângela Giardelli, prometeu ao Pé de Figo que concederá uma entrevista nos próximos dias

Na última  sexta-feira (05), a ACAV – Associação Cultural e Artística de Valinhos, formada por pais de alunos do Centro Cultural, publicou uma nota em sua página do Facebook em que esclarece os pontos controversos com a atual gestão da Secretaria da Cultura, comandada pela secretária Ângela Giardelli (PV), que motivaram uma série de manifestações nos espetáculos do Festival de Artes 2017.

Segundo a nota, desde maio do ano passado, quando a associação foi estatutariamente fundada, a ACAV vem sofrendo com a dificuldade de diálogo com o comando da secretaria, o que culminou com a proibição do trabalho voluntário de seus integrantes no Festival, e uma espécie de boicote, ao excluir dos agradecimentos a associação, apesar de esta ter doado valor significante para a montagem dos espetáculos.

-publicidade-

A nota expõe também outros problemas enfrentados tanto na realização do festival, como no dia a dia das atividades do Centro Cultural, como dificuldade na compra de ingressos por retenção da secretaria, “expulsão” do público logo após o término dos espetáculos, atrasos nos ensaios, desmotivação dos funcionários, e falta de professores.

Junto à nota, a ACAV publicou um balanço das doações e empréstimos realizados para a Secretaria de Cultura para a realização dos espetáculos.

O texto tem forte impacto político, pois o Centro Cultural é o “carro chefe” da pasta da cultura em Valinhos, se apresentando como uma das maiores instituições de ensino de arte do Brasil em quantidade de alunos.

Presidente reclama de boicote, e pede troca de comando da Secretaria

O Pé de Figo entrou em contato com a presidente da ACAV, Fabiana Carpi de Souza Martins, para saber mais detalhes sobre os problemas enfrentados.

Fabiana explicou que a associação surgiu a partir da criação de uma comissão de pais para o gerenciamento da bilheteria do Festival de Arte 2016, sugerida pelo então secretário André Reis. Com a mudança de gestão da Secretaria, e um início de diálogo satisfatório, inclusive com a sugestão de realização de diversas atividades em conjunto, a relação mudou a partir da criação estatutária da ACAV, em maio, momento em que os membros da associação passaram a perceber uma certa ingerência, por parte da Secretaria, em relação à forma de atuação. Juntamente, alguns professores e funcionários passaram a procurar os pais da ACAV relatando que estes estavam sendo pressionados a não manterem relações com os membros da associação, tanto é assim que a própria Secretaria entrou em contado com a ACAV para solicitar que seus membros evitassem manter relações com os pais e professores. Diante destes fatos e circunstância a relação entre a Secretaria e a ACAV começou a ficar muito abalada.

A “gota d’agua” aconteceu na organização do Festival, quando somente os pais membros da ACAV foram proibidos de trabalhar voluntariamente na bilheteria e apoio aos espetáculos, sem qualquer justificativa para tanto. A Secretaria também havia pedido para que os pais escrevessem uma carta sobre a importância da família valinhense para o Festival de Artes, que seria lida pela própria Secretária antes dos espetáculos, porém a carta não foi lida em nenhuma oportunidade, sob a desculpa de esquecimento, e a ACAV sequer foi citada nos agradecimentos como apoiadora do Festival.

Ainda segundo Fabiana, um grupo formado pela ACAV, outros pais, alunos e até um professor, tentou de todas as formas uma audiência com o prefeito Orestes Previtale (PMDB) para expor as dificuldades pelas quais estavam passando, porém este não atendeu os solicitantes, os quais acabaram fazendo a reunião com o Chefe de Gabinete, Carlos Roberto Tosto.

Além de apresentar os inúmeros problemas, o grupo pediu algumas providências da prefeitura, entre elas, a substituição do comando da Secretaria. A resposta que receberam foi de que a prefeitura não poderia tomar nenhuma atitude até a segunda quinzena de janeiro.

Denúncias de assédio moral

O jornal Folha de Valinhos publicou na manhã do sábado (06), uma matéria em que expõe diversas denúncias à secretária Ângela Giardelli ocorridas durante o último ano. Segundo a matéria, os dois representantes do PV na Câmara, Henrique Conti e Luiz Mayr Neto, além do ex-vereador Pedro Damiano, também do mesmo partido, se reuniram na última semana com o prefeito Orestes para avaliarem a situação de denúncias que os vereadores têm recebido, que incluem perseguição e assédio moral por parte da secretária. O teor da reunião não foi divulgado.

Conforme apurado pelo Pé de Figo, diversos funcionários, tanto efetivos quanto comissionados, já fizeram reuniões com o prefeito Orestes e também com a Vice-Prefeita Laís Helena para exporem os problemas enfrentados na relação com a secretária, avaliada como insustentável. Para pelo menos um dos comissionados, foi oferecida a troca de secretaria.

Segundo informações, os assédios começam sempre que alguém ousa discordar ou criticar alguma postura da secretária, e vão desde o desvio da função para “neutralizar” o funcionário, até os ataques verbais.

Confira a nota da ACAV na íntegra:

Nota de Esclarecimento

A A.C.A.V. – Associação Cultural e Artística de Valinhos, através deste meio de comunicação, esclarece os motivos pelos quais nos levaram a nos manifestar em forma de protesto nos espetáculos de dança do Festival de Artes 2017 realizado no mês de novembro e dezembro na nossa cidade.

Desde o mês de maio de 2017, mês de fundação da A.C.A.V., nos comprometemos a ajudar o festival com doações (e assim fizemos) e também com trabalho voluntário.

Infelizmente acreditamos que nossa proposta não foi “entendida” ou “aceita” como uma forma de ajuda por parte da Secretaria de Cultura e Turismo de Valinhos.

Tivemos alguns contratempos que dificultaram nossa atuação em prol da arte e cultura da nossa cidade e por isso, nos manifestamos de forma silenciosa sem provocar tumulto, em busca de respeito e atenção ao nosso trabalho e como entidade séria que somos.

Esclarecemos que a nossa visão mediante o acontecido, assim como as reivindicações já foram expostas em reunião realizada no gabinete da prefeitura de Valinhos e nos deram um prazo de 1 mês –previsto para segunda quinzena de Janeiro de 2018 – para solucionar as reivindicações apresentadas.

Seguem os pontos reivindicados:

Venda de ingressos dos espetáculos – Na compra antecipada haviam dias com a informação de “ INGRESSOS ESGOTADOS”, porém na hora, eram vendidos ingressos inicialmente ditos “esgotados” no valor de R$ 15,00 cada;

Proibição dos integrantes da ACAV trabalhar voluntariamente – E não foi nos dado uma justificativa plausível;

Agradecimentos – Fizemos uma carta juntamente com a Secretaria de Cultura sobre a importância do Festival para a família Valinhense que sequer foi lida nas aberturas dos espetáculos. Somente após nossas manifestações o nome da ACAV surgiu em forma de agradecimento. Em alguns espetáculos, o Diretor nos agradeceu por conta própria;

Desrespeito ao público – Nas apresentações realizadas na Câmara Municipal, o espetáculo mal terminava e o publico era convidado a se retirar para que as portas pudessem ser fechadas;

Desorganização – Ensaio geral do ballet com 2 horas de atraso por falta de som e sem cenário, atraso também no ensaio geral do jazz por conta do atraso na montagem do cenário, falta de tablado e microfones no chão para o espetáculo de flamenco;
Professores e funcionários desmotivados – Clima muito ruim;

Falta de Professor de Ballet – O 4° ano de alunas não tiveram aulas para chegar na ponta perdendo um ano, a maioria das turmas tiveram seus horários modificados passando a ter somente uma aula por semana, os professores se sobrecarregaram;

Falta de Professor de Dança de Rua – mais de 100 alunos sem aula no período de 1 ano;
Falta de Curso de Artes Plásticas – Foi extinto;

Sem mais, agradecemos a atenção e o apoio de todos os pais, alunos e professores na luta por um ambiente livre, criativo, e de relações puras e respeitosas condizentes com a arte e a cultura que queremos e que temos o direito de ter.

ACAV – ASSOCIAÇÃO CULTURAL E ARTÍSTICA DE VALINHOS

Entrevista com a Secretária

O Pé de Figo fez contato com a Secretária Ângela Giardelli a fim de obter dela um posicionamento a respeito do assunto e dos seus desdobramentos e recebeu a promessa de ser realizada uma entrevista nos próximos dias.




Deixe um comentário

Por favor, digite seu comentário.
Por favor, digite seu nome