Através de ofício à Rigesa, Orestes Previtale lamenta fechamento da empresa

0

Prefeitura lamenta em ofício o anúncio do fechamento da Rigesa em Valinhos

A Prefeitura enviou na tarde desta segunda-feira (18) ofício ao presidente da WestRock Brasil, dona da Rigesa, Jairo Lorenzatto, manifestando tristeza com a notícia divulgada em jornal de grande circulação nacional sobre a decisão de encerrar as operações da fábrica de papel ondulado de Valinhos.

Na carta, entregue em mãos à gerente do Departamento Jurídico da WestRock Brasil, Ana Paula Casarin, o prefeito Orestes Previtale expressou decepção pela forma como a decisão da empresa norte-americana chegou até a Prefeitura, poucos dias depois de receber representantes da WestRock em audiência, quando ficou garantido que a companhia avisaria com antecedência a administração municipal sobre qualquer medida a ser adotada em relação à unidade de Valinhos e que, também, haveria interesse em estreitar relações com a municipalidade.

No documento, o prefeito reconhece que as empresas devem sempre buscar melhores condições para suas operações e, ao mesmo tempo, lamenta “profundamente o fato de não ter feito parte de sua estratégia oferecer a Valinhos a oportunidade de ao menos entender os motivos da saída a tempo de poder esboçar qualquer tentativa na direção de oferecer-lhes alternativa para que eventualmente permanecessem”.

O ofício encerra com um pedido formal: “Além da consternação cabe-nos declarar que ainda aguardamos uma comunicação oficial a este Gabinete e ao povo valinhense. Uma comunicação que expresse a decisão tomada unilateralmente e que dispensou em todos os momentos a participação dessa ou de outra administração municipal na condição de representante dos interesses do município e seus munícipes”.

Em resposta, recebida nesta terça-feira pelo Gabinete, o presidente da WestRock Brasil refirma que respeito é valor vivenciado na prática da empresa, que anunciou ontem o encerramento das operações da unidade de Valinhos no segundo trimestre de 2019 e que vai construir uma fábrica em Porto Feliz (SP).

De acordo com Jairo Lorenzatto, a saída de Valinhos vinha sendo analisada há muitos anos e que não tem qualquer relação com falta de competência operacional, de gestão da unidade ou de relacionamento com a Prefeitura. A decisão foi tomada exclusivamente pela impossibilidade de expansão da fábrica de Valinhos e das dificuldades de logística, que levariam a um alto custo operacional, agravada pela crise econômica do país.

“Como as atividades da WestRock em Valinhos seguirão normalmente até o segundo trimestre de 2019, conto com o suporte desta municipalidade na interface com os diferentes públicos envolvidos para que esta transição ocorra da melhor maneira possível para todos”, encerra o ofício recebido pela Prefeitura.

Fonte: PMV

 




Deixe um comentário

Por favor, digite seu comentário.
Por favor, digite seu nome