Formação sobre Cooperativismo do Trabalho, realizada pela Unisol Brasil
-publicidade-

A central de cooperativas Unisol Brasil anunciou esta semana a criação de uma cooperativa que irá atuar no setor elétrico, e que agregará trabalhadores de Campinas, Valinhos e Sumaré. A iniciativa busca reduzir os danos causados pela precarização do trabalho no setor através do trabalho cooperado.

As novas tecnologias implementadas em sistemas e equipamentos, tanto no setor elétrico como em outras atividades envolvendo os serviços elétricos dos consumidores, associadas a alterações no sistema de organização do trabalho, mudaram significativamente as formas de contratação dos trabalhadores e trabalhadoras. Inclusive, com aumento do desemprego e prestações de serviços, com vulnerabilidade às condições de trabalho e saúde do trabalhador.

O cenário econômico no país e o trabalho no setor elétrico ainda está aquém das necessidades para se abrir um novo ciclo de retomada do crescimento.

-publicidade-

Mas a Unisol Brasil, visando enfrentar a situação de precarização do trabalho, desemprego no setor e ainda de uma recuperação tímida, inicia o processo de constituição de uma Cooperativa de Trabalho, com trabalhadores e trabalhadoras do ramo elétrico em Valinhos, Sumaré e Campinas.

“Hoje, como advogado da Unisol Brasil, iniciei o processo de constituição de uma Cooperativa de Trabalho com trabalhadores do setor elétrico, foi o primeiro passo”. Dr. Eugênio Alves Soares.

Reunião que decidiu a formação da cooperativa

O trabalhador Carlos Eduardo Salazar, técnico em Automação Industrial e Elétrica, graduando em licenciatura em Matemática, atuação de 20 anos em manutenção de  multinacionais da região e lecionando treinamentos no Senai, afirmou: “Estamos animados e esperançosos com a ajuda e orientação que o Leonardo Pinho, Presidente da Unisol, está nos dando. Juntamos mais de 10 profissionais da área de automação e elétrica, alguns com larga experiência de mercado e outros mais jovens que estão ingressando, e devido à dificuldade de retornar ou entrar no mercado de trabalho resolvemos trilhar pelo caminho do cooperativismo, por acreditarmos ser um modelo justo de trabalho que nos proporcionará renda e trabalho digno. Podemos avançar mais e crescer juntos nesse caminho.”

Deixe um comentário

Por favor, digite seu comentário.
Por favor, digite seu nome