Foto: Luiz Manoel Guimarães
-publicidade-

Indenização de 30% para cada ano de trabalho, plano de saúde por doze meses, estabilidade de 60 dias e fim da greve sem desconto dos dias paralisados.

Após vinte dias de impasse, trabalhadores e a empresa Unilever Brasil Industrial de Vinhedo chegaram a um acordo que colocou fim a uma greve. Com mediação realizada na terça-feira (17/10), pelo vice-presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região, desembargador Edmundo Fraga Lopes, ficou assegurada a implantação de um Programa de Desligamento Voluntário, no qual os empregados terão direito, entre outros benefícios, a indenização por ano trabalhado, extensão do plano de saúde e auxílio na recolocação profissional.

Empresa e trabalhadores, representados pelo Sindicato dos Abrasivos e Químicos de Vinhedo, acordaram que aqueles que aderirem ao PDV receberão indenização de 30% do salário-base para cada ano de trabalho, garantindo-se o mínimo de um salário. Após o desligamento, os trabalhadores manterão o plano de saúde por mais doze meses. Além disso, não haverá desconto dos dias parados para os que pedirem desligamento e, para quem decidir permanecer, haverá compensação máxima de oito dias, cumpridos em quatro feriados.

-publicidade-

Outros pontos acordados foram o fim imediato da greve e estabilidade de 60 dias aos empregados que não forem desligados pelo plano de reestruturação. Leia aqui a ata com todos os termos do acordo.

O conflito começou após a empresa comunicar a terceirização do setor de logística e modernização de processos, seguido do anúncio da demissão de 130 empregados. Uma primeira rodada de negociações foi realizada no TRT-15 na terça-feira (10/10), quando a empresa ofereceu extensão de nove meses de plano de saúde para os demitidos, 20% do salário para cada ano trabalhado e auxílio na recolocação profissional. Já o sindicato reivindicava que o processo de reestruturação fosse postergado para o próximo ano.

“Foi uma composição difícil, pois, inicialmente, houve grande resistência das duas partes ao acordo. Após muitas horas de negociação, chegamos a uma síntese construída com a participação ativa da empresa, do sindicato e da Justiça do Trabalho, cuja essência é buscar a pacificação social”, explicou o desembargador Edmundo Fraga Lopes.

Fonte: Portal TRT15




Deixe um comentário

Por favor, digite seu comentário.
Por favor, digite seu nome