O mico da Câmara aponta que algo está errado

0

A leitura da moção de apoio, apresentada pelo vereador Rodrigo Toloi (DEM), baseada numa noticia falsa, a chamada “Fake News”,  espalhada  pelas redes sociais da internet, trouxe aos olhos do público uma situação que se arrasta há algum tempo.

O mico inacreditável resultou em repercussão constrangedora na mídia regional e só não foi maior porque, após ser subscrita por outros sete vereadores, inclusive o presidente do legislativo, e ter sido lida no plenário da Casa de Leis, a moção acabou não sendo votada.

A moção é um instrumento em que os vereadores, como representantes do povo, manifestam a opinião, em nome deste povo, sobre um determinado tema.

No afã de demonstrar trabalho, os vereadores têm exagerado na produção de moções com a consequente banalização do seu significado. E dá-lhe moção de pedido ao prefeito, moção pelo Dia das Árvores, moção de aplauso, moção disso, moção daquilo.

A Câmara Municipal de Valinhos é composta por dezessete vereadores, cada um tem três assessores e somados aos funcionários efetivos, dispõe de um orçamento que consome dos cofres públicos cerca de R$ 20 milhões anuais.

Bem que os edis podiam, do alto da legitimidade alcançada pelo voto popular, encarar a  necessidade premente de provocar as mudanças no quadro insuportável de distanciamento entre os governantes e os governados; entre os representantes e os representados.

Há de se rever os procedimentos da gestão pública, os rituais ultrapassados do parlamento, redefinir o tamanho e o custo dos órgãos da administração e adequar os critérios da nomeação de comissionados, destinando com respeito e responsabilidade cada centavo proveniente dos contribuintes.

Não se trata de tagarelar em defesa da redução do número de vereadores, prejudicial à representatividade, que precisa ser ampla e plural, mas algo está errado e carece das atitudes de homens e mulheres que pensam nas urgências da cidade e seus habitantes, antes de se embriagarem com o devaneio populista de olho nas próximas eleições.




Deixe um comentário

Por favor, digite seu comentário.
Por favor, digite seu nome