Com capacidade para 1,1 mil alunos escola será concluída com recursos do Fundo de Desenvolvimento Urbano

As obras da escola municipal do Parque dos Cocais serão retomadas com recursos do Fundo de Desenvolvimento Urbano. O projeto está em fase de elaboração da licitação para contratar a empresa que fará a reforma, com custo estimado de R$ 2,5 milhões. O Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano aprovou por unanimidade a utilização do recurso para a conclusão da unidade de ensino.

O valor total, início e fim das obras serão definidos na licitação, que ainda está sendo elaborada. As obras tiveram início em 2015 e foram paralisadas em 2016. A escola dos Cocais é a maior unidade de ensino municipal de Valinhos, com capacidade para 1,1 mil alunos. Segundo o secretário de Educação, Zeno Ruedell, irá atender estudantes da pré-escola e do ensino fundamental.

-publicidade-

“A escola vai atender a uma grande região, a uma demanda que só vai aumentar, com os novos condomínios e prédios que estão sendo construídos no local. Supre uma necessidade de médio prazo em uma área de Valinhos que está crescendo muito”, afirmou o secretário.

A escola terá  quatro pavimentos, 18 salas de aula, quadra poliesportiva, biblioteca, sala de informática, salas multiuso, laboratórios, cozinha, banheiros, pátio, salas de professores e coordenação, direção e para reforço, entre outras instalações. “Terá mais recursos audivisuais para os alunos, atendendo à realidade atual. Vai oferecer um trabalho complementar de formação e qualidade de ensino”, afirmou.

A reforma contempla finalização das obras e recuperação do que já estava instalado, mas acabou se deteriorando ou sendo alvo de furtos e vandalismo, como fiação, lâmpadas, portas, vasos sanitários e equipamentos. Também será necessário, segundo o secretário, corrigir falhas da construção, como o piso da quadra coberta, que terá de ser refeito.

Sindicância

Em dezembro do ano passado, a Prefeitura de Valinhos abriu uma sindicância para investigar a entrega da escola Parque dos Cocais sem que as obras estivessem efetivamente concluídas. Estão sendo apuradas possíveis irregularidades na gestão do contrato, acompanhamento da execução e recebimento definitivo da obra, assim como de eventuais responsabilidades. A sindicância está em andamento e não tem prazo para conclusão.

Fonte: PMV

Deixe um comentário

Por favor, digite seu comentário.
Por favor, digite seu nome