Foto: Ulisses Porto
-publicidade-

Na reunião a vice-prefeita Lais Helena apresentou uma proposta que envolveria a contratação de 20 cooperados da Recoopera pela Corpus

Representantes da Recoopera se reuniram na manhã de hoje (04) com membros do poder público para discutir possibilidades para a manutenção das atividades da única cooperativa de reciclagem de Valinhos.

Participaram também da reunião representantes da Central de Cooperativas e Empreendimentos Solidários (Unisol Brasil), do Movimento de Catadoras e Catadores, e dos Conselhos Estadual e Nacional dos Direitos Humanos. Pelo poder público, estiveram presentes a Vice-Prefeita Laís Helena (PSB), o Chefe de Gabinete do Prefeito Carlos Roberto Tosto, e os Secretários Rodrigo Fagnani Popó e José Luiz Garavello Junior, de Desenvolvimento Econômico e de Assuntos Jurídicos e Institucionais, respectivamente.

Na reunião, Laís Helena apresentou uma proposta que envolveria a contratação de 20 cooperados da Recoopera pela Corpus, empresa responsável pela coleta de lixo na cidade, além de outras iniciativas de apoio nas áreas de assistência social e educação.

A proposta, que na prática acabaria com a cooperativa, e deixaria todo o processo de triagem e comercialização do material reciclável sob a responsabilidade da empresa, não foi aceita pela Recoopera, que apresentou uma contraproposta, que consiste na contratação da cooperativa por parte da Prefeitura, na forma como prevê a legislação sobre resíduos sólidos atualmente vigente, com a contrapartida de um compromisso de ampliação dos postos de trabalho da cooperativa para 40 pessoas. Para isto, seria utilizado o mesmo recurso que seria destinado à contratação dos cooperados pela Corpus.

“Nós queremos que esse recurso seja usado para contratar a cooperativa, como prevê a Política Nacional de Resíduos Sólidos e de Saneamento Básico” – Leonardo Pinho.

Segundo Leonardo Pinho, Presidente da Unisol Brasil, o custo de contratação da Recoopera pela prefeitura para que realize o serviço de triagem e destinação correta dos resíduos sólidos recicláveis, que a cooperativa já realiza há 15 anos na cidade, é menor do que o valor que seria dispendido para a contratação individual de cada cooperado, conforme a proposta do poder público. Além do custo menor, abre-se ainda a possibilidade de ampliação dos postos de trabalho, como já ocorreu em outros momentos, quando a coleta seletiva na cidade era mais organizada.

No dia 26 de abril, a Recoopera divulgou uma nota em que acusava o Prefeito Orestes Previtale (PSB) de “ser artífice do enfraquecimento/fechamento da Cooperativa”. Quatro dias depois, a Prefeitura determinou sua saída do barracão em que os cooperados atuavam, de posse da municipalidade.

Ainda segundo os representantes da cooperativa, ficou acertado que a entidade encaminhará a documentação necessária e uma próxima rodada de negociação ficou marcada para nova reunião na sexta-feira, dia 11.

Leia também:

Para a Recoopera, Prefeito de Valinhos quer acabar com a Cooperativa de Reciclagem

Prefeitura determina saída da Recoopera de barracão e prejudica trabalho de cooperados

Deixe um comentário

Por favor, digite seu comentário.
Por favor, digite seu nome