EXPOSIÇÃO:
Ferrovia, História e Companhia.
Uma homenagem aos 145 anos do início do tráfego ferroviário
da Companhia Paulista de Estradas de Ferro
Por Marcel Pazinatto
Em 31 de março de 1872 iniciava-se um capítulo na história ferroviária do Brasil e no transporte de cargas em uma das regiões mais importantes do estado de São Paulo. Inaugurava-se, nesta data, o tráfego ferroviário entre as cidades de Jundiaí e Valinhos (ainda um bairro rural de Campinas) pela Companhia Paulista de Estradas de Ferro, uma idealização de um grupo de fazendeiros, negociantes e capitalistas que necessitavam de um meio rápido e seguro para escoar a produção do café cultivado no interior do estado.
A Companhia Paulista de Estradas de Ferro ficou conhecida pelo seu alto padrão de qualidade, excelência no atendimento ao público, pontualidade pois era comum acertar o relógio pelo apito do trem e nas suas implantações tecnológicas, sendo a primeira ferrovia brasileira que utilizou o sistema elétrico de catenárias para a tração das locomotivas.
Este antigo trecho ainda existe e já foi utilizado pela Ferrovia Paulista S/A – Fepasa por 27 anos e, atualmente, é utilizado para o transporte de cargas e suprimentos para a indústria através da empresa MRS Logística S.A. e a concessão pertence a empresa RUMO.
Os trens são diários e sua presença acaba se confundindo com o cotidiano das pessoas, muitas acabam cruzando o seu caminho e aguardam sua passagem, já outras preferem apenas recordar de uma época em que eram mais comuns os trens de passageiros nessa região.
Esta exposição ilustrará imagens realizadas nas cidades de Valinhos, Campinas e Louveira, tendo como objetivos: conscientizar a importância do transporte ferroviário em uma sociedade que ainda foca no transporte rodoviário para o deslocamento de passageiros e cargas, ilustrar partes de um passado esquecido e que aos poucos o tempo vai apagando e causando a extinção de partes da história. Também serão contempladas cenas do cotidiano envolvendo a ferrovia e a paixão e fascinação que o trem proporciona aos mais jovens.
Certamente, de uma Companhia só restou a história, mas uma outra companhia se faz bem presente naqueles que curtem, fotografam, sonham, trabalham e admiram as máquinas e o transporte ferroviário, ou seja: Bem vindos nesta viagem, todos a bordo !
 

Deixe um comentário

Por favor, digite seu comentário.
Por favor, digite seu nome