-publicidade-

Os trabalhadores demitidos da UPA Valinhos ainda não receberam os seus direitos.

O plenário da Câmara Municipal de Valinhos recebeu na sessão desta terça-feira (18/04) os funcionários da UPA Valinhos demitidos no mês passado e que ainda não receberam os salários vencidos e as verbas rescisórias, os quais protestaram e buscaram apoio dos vereadores.

A UPA Valinhos foi terceirizada pelo governo de Clayton Machado (PSDB) para o INASE – Instituto Nacional de Apoio à Saúde e à Educação, uma entidade envolvida num inquérito que apura irregularidades pelo Ministério Público do Rio de Janeiro, onde tem a sua sede.

A administração tucana chegou a divulgar em propaganda institucional que a unidade da UPA de Valinhos era referência nacional em termos de eficiência, no entanto, falta de medicamentos e atrasos nos pagamentos marcaram a sua atuação.

“protestamos pelos nossos direitos mas também para denunciar o verdadeiro caos em que se encontra a UPA Valinhos, pois há falta de medicamentos e os funcionários foram reduzidos pela metade”, diz um dos demitidos presentes na Câmara.

Os vereadores  Kiko (PSB)  e  Popó (PSDB)  apresentaram requerimento solicitando um posicionamento da prefeitura quanto à realização do pagamento, e a vereadora Dalva Berto (PMDB), líder do governo na Câmara,  informou que um TAC – Termo de Ajuste de Conduta foi feito, e já assinado pela prefeitura e pelo Ministério do Trabalho, mas que faltavam as assinaturas do Inase e do sindicato que atende os trabalhadores da UPA.

O TAC se refere apenas ao pagamento do último mês de salário, e as verbas rescisórias, que também não foram pagas, poderão resultar num novo litígio.

Intervenção, Encerramento do Contrato e Promessa do Prefeito Orestes

Após as denúncias de irregularidades o próprio ex-prefeito Clayton Machado (PSDB) decretou intervenção municipal na UPA e o seu sucessor, Orestes Previtale (PMDB), não renovou o contrato, o que levou o INASE a demitir todos os seus funcionários.

No início de seu mandato, logo no mês de janeiro, o prefeito Orestes Previtale (PMDB) reuniu-se com os funcionários do INASE e prometeu que não deixaria os cerca de 90 trabalhadores da unidade desempregados, isto é, a prefeitura adotaria medidas para reaproveitar todos os demitidos.

Uma comissão dos funcionários deverá se reunir ainda nesta semana com a Procuradora do Ministério Público do Trabalho e com a diretoria do Sindicato da Saúde.

Foto: Fabio Cerqueira

 

 

1 Comentário

  1. Por incrivel que aparesa nosos politicos so estaó pensando neles proprios desde o planalto as prefeituras em campanha politica todos os inderesado ao cargo e salario viviaaó fazendo promesas mas infelismente ainda tem quem acredita em politicios saude um caus educaçaó ainda pior deveria parar este pais uma greve geral pra todos sentirem cortar os pagamento destes politicos ai eles iriaó sentir na pele

Deixe um comentário

Por favor, digite seu comentário.
Por favor, digite seu nome