Vereadores aprovam regras para os ecopontos em Valinhos

0

O município de Indaiatuba já tem 35 ecopontos em funcionamento 

 Os vereadores aprovaram por unanimidade, na sessão desta terça-feira (12), projeto de lei que define como deverão funcionar os ecopontos que vierem a ser instalados em Valinhos. O texto é assinado pelos vereadores Veiga (DEM), César Rocha (Rede), Henrique Conti (PV), Kiko Beloni (PSB) e Mayr (PV). Os ecopontos são áreas destinadas para descarte de material, como móveis e recicláveis,  que normalmente não são recolhidos pelos coletores de lixo.

De acordo com o projeto, os pontos de descarte somente poderão ser utilizados para resíduos de construção civil (até 1 metro cúbico), pneus, lixo tóxico (pilhas, baterias e lâmpadas), material reciclável, material eletrônico, material de biodiesel, material orgânico bruto (folhas e galhos), equipamentos de informática, mobiliário, colchoaria e demais materiais semelhantes.

O texto diz ainda que os ecopontos poderão ser operacionalizados em parceria com empresas privadas, cooperativas e associações sem fins lucrativos, sem qualquer custo para o município.

Para o vereador César Rocha, a instalação de ecopontos em Valinhos é uma questão de economia e respeito ao dinheiro público. “A operação [Jogue Limpo com Valinhos] fica caríssima. Então a criação de ecopontos é importante. A população não tem para onde levar [o lixo] e acaba jogando em buracos, terrenos baldios e terrenos públicos. Se ela não tem opção, não vai ficar esperando um ano pela operação da Prefeitura”, afirmou.

O vereador Mayr destacou que o ganho com os ecopontos é para todos, inclusive para a Prefeitura. “Quando não tem essa questão [coleta do lixo], todo o lixo vai para a Paulínia e paga-se por tonelada”, explicou.

O vereador Mauro Penido (PPS) lamentou o fato de Valinhos ainda não ter nenhum ecoponto. “Nós precisamos de, no mínimo, uns quatro”, afirmou.

O projeto segue para sanção ou veto do prefeito Orestes Previtale (PMDB).

Fonte: CMV




Deixe um comentário

Por favor, digite seu comentário.
Por favor, digite seu nome