-publicidade-

Anna Layza conquista o 3º lugar no “Prelúdio”, concurso de música erudita

A percussionista campineira Anna Layza se destacou na temporada 2017 da música clássica brasileira ao chegar à final do programa Prelúdio, concurso de calouros de música erudita da TV Cultura.

Apresentando-se com um instrumento pouco convencional, a marimba, Anna Layza surpreendeu deste a primeira fase do programa, arrancando calorosos elogios dos jurados, que costumam ser bem críticos na análise das performances.

-publicidade-

Após eliminar sete fortes candidatos nas fases eliminatórias, Anna Layza chegou com grandes méritos à final, que aconteceu neste último domingo (10), e ficou com o 3º lugar nesta que foi a edição mais disputada das edições do Prelúdio, que é transmitido pela TV Cultura desde 2010.

Anna Layza no estúdio do programa Prelúdio. Foto: Nadja Kouchi

Desde o início de 2016, Anna Layza é percussionista da Orquestra Filarmônica de Valinhos, na qual teve oportunidade de se apresentar como solista no mês junho do último ano, quando tocou o Divertimento para Marimba e Orquestra do maestro brasileiro Radamés Gnatali, mesma peça apresentada na final do programa da TV Cultura.

Mas a história de Anna na música tem um caminho bem curioso. Em entrevista para o Pé de Figo, conta que seu interesse pela música aconteceu através do rock. Para poder realizar seu sonho de formar uma banda neste seguimento musical, se matriculou na escola Nós Na Pauta, em Hortolândia, no curso de bateria e percussão. E foi nesta escola que teve seu primeiro contato com o xilofone, instrumento de percussão de teclados, assim como a marimba. Assim surgiu seu interesse pela percussão erudita, na qual passou a se dedicar.

Anna Layza se apresenta com a Filarmônica de Valinhos. Foto: André Gonçalves | T10 Fotografia

Em 2017, além da participação no Prelúdio, Anna Layza se forma bacharel em música pela Unicamp, onde apresentará hoje (12) seu recital de formatura, sob a orientação de Fernando Hashimoto.

Confira a entrevista com Anna Layza na íntegra:

Pé de Figo: Como Surgiu seu interesse pela percussão erudita, e especialmente pela Marimba?

Anna Layza: O meu interesse pela música erudita foi algo que aconteceu! Iniciei meus estudos com o intuito de estudar bateria e formar uma banda de rock. Porém o curso da escola de música que estudei, a escola de música Nós Na Pauta, em Hortolândia, era de bateria e percussão. Um dia estava estudando bateria e ouvi alguém estudando xilofone. Foi amor a primeira vista! Comecei a estudar os teclados, e outros instrumentos da percussão, como os tímpanos. Sempre participava dos eventos da escola de música: Assistia os concertos da banda e de outros grupos da escola, e ficava cada dia mais admirada com as novas formações que me eram apresentadas. Foi aí que surgiu o interesse pela música erudita! Passei a tocar em banda sinfônica, grupo de percussão, grupo de metais, orquestras, e não parei mais!

PdF: Como foi a preparação para participar do programa Prelúdio? E qual foi a sensação de ir passando pelas fases eliminatórias até chegar à final?

Anna: Estudei muito para me preparar para o programa. Quando decidi que iria me inscrever, durante as férias de verão, passei a ensaiar com frequência com minha grande amiga pianista Ana Luiza, que comprou essa batalha comigo. Gravei o vídeo com a ajuda de amigos que estavam me apoiando, e aguardei ansiosamente o resultado. Porém confesso que não achei que seria selecionada. No dia que me ligaram, comemorei muito! Me preparei para cada programa com muito esforço, sempre com uma única meta: a de dar o meu melhor! Independente do resultado, eu queria que as pessoas conhecessem o meu instrumento, que elas pudessem sentir comigo a música, e que atentassem para a música maravilhosa composta em nosso país. Foquei e tenho focado em minha carreira na musica brasileira para percussão. Acredito que consegui atingir esse objetivo. Passar de uma fase para outra foi maravilhosamente emocionante, porém eu não chegava no programa com a meta única de vencer, mas sim a de dar o meu melhor, a minha melhor música.

PdF: Qual você acha que é o papel de orquestras semi-profissionais, como a Orquestra Filarmônica de Valinhos, na formação de novos músicos?

Anna: Vejo as orquestras semi-profissionais, como a OFV, como uma grande oportunidade para a formação de novos músicos. É um espaço onde nos reunimos para fazer música, com muita dedicação e amor. Muitas vezes ali o músico encontrará a certeza de que quer fazer da música sua profissão! Além da orquestra semi-profissional proporcionar grandes experiencias musicais, ela permite que pessoas que desistiram da música em algum momento de sua vida possam viver o sonho de tocar em uma orquestra. Conheço muitas pessoas que tem isso como um hobby. Não significa que a orquestra terá um nível inferior de uma orquestra profissional, pois a dedicação pode ser igual ou até maior! É maravilhoso ver em concertos da OFV o teatro lotado, e o público cada vez mais interessado na música que temos a oferecer!

Confira os vídeos da participação de Anna Layza no programa Prelúdio:

1ª eliminatória
2ª eliminatória
Semi-final
Final

2 Comentários

  1. Linda apresentação/interpretação da Anna Layza, graciosa, com destreza, nesse instrumento: marimba! Você conseguiria essa sequência de atos, esse solo que parece não terminar? Acabei de assistir!

Deixe um comentário

Por favor, digite seu comentário.
Por favor, digite seu nome