A CPI que apura fatos relacionados à desocupação do imóvel onde funcionava a cooperativa Recoopera realizou duas oitivas na manhã desta quarta-feira (19). Estiveram presentes José Luiz Garavello Júnior, representando a Prefeitura Municipal, e Janine da Silva Azevedo, presidente da Recoopera à época.

A CPI tem como membros a vereadora Dalva Berto (MDB), que é a presidente; o vereador Edson Secafim (Progressistas), que é o relator; Giba (MDB), Aguiar (PSDB), Mônica Morandi (PDT) e César Rocha (Rede).

 Entenda o caso 

Segundo dados divulgados pela Prefeitura em comunicado oficial lido pelo presidente da Câmara, Israel Scupenaro (MDB), durante sessão em junho, a Administração Municipal alugava desde setembro de 2013 um imóvel particular ao custo mensal de R$ 12 mil, que era usado pela cooperativa como barracão de separação e destinação do lixo reciclável.

Diante do término do contrato de cessão de uso do imóvel alugado, em fevereiro de 2016, e de sua não renovação, a Prefeitura e a Recoopera teriam entrado em uma série de tentativas de acordo para manutenção do trabalho, o que não foi possível por diferentes fatores alegados por ambas as partes.

O local foi desocupado, o que gerou desentendimentos entre a administração pública e a cooperativa. E é exatamente essa situação que os vereadores querem averiguar, ouvindo tanto a cooperativa quanto o Poder Público.

Fonte: CMV

Deixe um comentário

Por favor, digite seu comentário.
Por favor, digite seu nome