Pré-candidatos a prefeito de Valinhos: um mosaico para todos os gostos e desgostos.

Uma avant-première do show de malabarismo de Alexandre Tonetti, Capitã Lucimara, Clayton Machado, Dalva Berto, Edson Secafim, José Aguiar, Márcio Xavier, Nadyr Calvi, Orestes Previtale, Paulo Bandina, Paulo Batista e Thiago Soratto, em busca do voto do eleitor.

Até o momento, doze pré-candidatos já anunciaram, de um jeito ou de outro, que estão de olho no Palácio da Independência, a sede da Prefeitura de Valinhos, e todos eles o fizeram pelas redes sociais da internet.

Em meio ao caos das crises política, econômica e sanitária que assolam o país, os prefeituráveis ainda perdem o sono com a indefinição da data a ser marcada para o pleito, uma vez que o calendário eleitoral, que previa as eleições no mês de outubro, também é mais uma vítima da pandemia.

O Senado aprovou, em primeira votação, o adiamento da eleição para os dias 15 e 29 de novembro, primeiro e segundo turnos, e ainda precisa de uma nova manifestação dos senadores, para depois seguir à Câmara Federal, mas, como diria Mané Garrincha, antes é preciso combinar com os russos, no caso, o novo coronavírus.

Não incluímos no mosaico o pré-candidato, Paulo Bandina. Alertados por um leitor, está aí a correção.

Enquanto isso, Alexandre Tonetti, Capitã Lucimara, Clayton Machado, Dalva Berto, Edson Secafim, José Aguiar, Márcio Xavier, Nadyr Calvi, Orestes Previtale, Paulo Bandina, Paulo Batista e Thiago Soratto fazem uma avant-première do show de malabarismo em busca do voto do eleitor através de publicações nas redes sociais.

Temas como o combate à pandemia, investimentos na saúde, educação e cultura, socorro aos comerciantes, dívida milionária da prefeitura, servidores municipais, redução do número de vereadores, plano diretor, dentre tantos outros, ainda não são destaques nas performances da maioria dos pretendentes a prefeito da cidade. E os eleitores, os eleitores, desconfiados, seguem só navegando.

1 Comentário

  1. Tudo dentro do esperado, já o momento os permite usar suas redes para tentar dialogar com os eleitores. Resta saber se o eleitores valinhenses estão preparados para esse tipo de abordagem já que por aqui em “Matinhos” a política é feita mesmo dentro dos templos religiosos e com toda força, os preteridos sempre foram escolhidos dessa forma por cá. 😉

Deixe um comentário

Por favor, digite seu comentário.
Por favor, digite seu nome