Ministério Público de São Paulo pediu reparação por danos individuais e coletivos

A Promotoria de Justiça de Valinhos denunciou Matheus Abreu Almeida Prado Couto, que praticou discriminação de raça e cor contra o entregador Matheus Pires Barbosa. O caso, gravado em vídeo que viralizou na internet, aconteceu em julho dentro de um condomínio em Valinhos.

Conforme cita a promotora Regina Mondin na denúncia, Couto, insatisfeito com o serviço de um aplicativo de entregas, usou termos ofensivos ao falar com o profissional que havia levado sua encomenda, “com a intenção não só de desqualificar e humilhar o entregador, mas de afirmar sua superioridade e subjugar todos os integrantes da população negra (…)”. 

Ainda de acordo com a Promotoria, o denunciado agiu “com a mesma intenção discriminatória de raça e cor, em menosprezo à população negra, cuspiu no entregador e, com deboche, imitou um macaco/gorila, batendo em seu próprio peito e fazendo sinais e sons, comportando-se como o animal”. 

O MPSP requereu também que o homem seja obrigado a pagar valor a ser determinado pelo Judiciário para reparação dos danos morais causados à vítima e à coletividade.

Fonte: Núcleo de Comunicação Social Ministério Público do Estado de São Paulo 

Deixe um comentário

Por favor, digite seu comentário.
Por favor, digite seu nome