“Não somos menos gente. Não somos menos importantes para a sociedade. Somos parte dela e, como tal, devemos ser tratados com respeito e dignidade.

Por Marcelo Yoshida

O Mês do Orgulho LGBTI tem origem em um evento que ficou conhecido como Revolta de Stonewall, que ocorreu em um bar de mesmo nome nos EUA, no dia 28 de junho de 1969.

As pessoas estavam insatisfeitas com as frequentes batidas policiais e a violência com que a população LGBTI era tratada. No ano seguinte, aconteceu a primeira Parada do Orgulho LGBTI.

Mas por que orgulho? Por que ter orgulho de ser trans, travesti, lésbica, não binárie, bissexual, gay? A todo momento a comunidade LGBTI sofre diversos ataques: físicos, verbais, psicológicos, simbólicos.

É preciso entender que não há nada de errado conosco. Nosso amor e as pessoas com as quais nos relacionamos não podem e não devem ser alvo de ódio das pessoas.

“Anda que nem homem!”, “Mas é homem ou mulher?!”, “Essa aí é sapata!”. São alguns exemplos de como pessoas da comunidade são constantemente violadas, diminuídas, constrangidas. Nos passam a mensagem de que somos inadequados, indesejáveis.

Por isso é importante ter orgulho! Não somos menos gente. Não somos menos importantes para a sociedade. Somos parte dela e, como tal, devemos ser tratados com respeito e dignidade.

Somos TRANSgressores de um sistema que prioriza e privilegia o homem hétero, cis, branco. Por isso somos corajosos e temos sim que ter orgulho de quem somos e sobreviver nesse mundo!

Marcelo Yoshida é professor, formado em Direito pela PUC Campinas, Licenciatura em História pela Unesp de Franca e Mestrado em História pelo ProfHistória Núcleo da Unicamp.

Deixe um comentário

Por favor, digite seu comentário.
Por favor, digite seu nome