O programa Quarta É Feira, criado para incentivar a produção rural e promover a agricultura familiar de Valinhos, completa um ano esta semana. Para celebrar a data, os agricultores vão promover sorteios de brindes e de produtos frescos na edição desta semana, na quarta-feira (19), no CACC Adoniran Barbosa. Haverá ainda apresentação musical com a dupla Marcelo e Moreno.

O Quarta É Feira começou em 20 de setembro do ano passado, com apoio da Casa da Agricultura de Valinhos, para manter a nova geração no campo. A produção dos sítios e chácaras da cidade é colocada à disposição da população, vendida diretamente por quem planta, por preços abaixo do mercado.

Sorteio de cestas de frutas e legumes

Segundo o Departamento de Agricultura da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, já foram introduzidas duas turmas de produtores rurais. “Começamos com cerca de 20 bancas e hoje temos 30 bancas. Os produtores que hoje estão no quarta é feira já têm público cativo, muitos clientes preferenciais”, disse a diretora Luciana Passos.

Segundo Luciana, para comemorar um ano de feira, os produtores farão sorteios de cestas de produtos frescos de cultivo próprio. Para participar, é preciso fazer compra mínima de R$ 5,00. O consumidor recebe um cupom, preenche e concorre aos brindes.

Juliano Fujita: foi difícil convencer alguns produtores de que daria certo, mas deu.

Para Juliano Fujita,  Técnico Agropecuário, Coordenador do Projeto Agroecologia no Circuito das Frutas e assessor técnica da UNISOL Brasil e da ANC (Associação de Agricultura Natural de Campinas e Região), “foi difícil convencer alguns produtores que iria dar certo, mas deu! A importância de alimentar o cidadão com os produtos da própria terra seria um desafio, mas está acontecendo e assim água e nutrientes desse solo vão se incorporando ao sangue do Valinhense criando vínculos perenes com a terra.”

Juliano Fujita fala no lançamento do projeto Agroecologia no Circuito das Frutas

Segundo Fujita, “a cidade também incorporou a feira como um ponto de encontro entre amigos onde eu mesmo tive grandes surpresas revendo pessoas que não via a décadas.”

Conseguimos recentemente regularizar a feira dando segurança jurídica aos produtores.

Agora precisamos aumentar o rendimento econômico dos produtores pois só fornecer para a feira não é sustentável e muitos podem desistir.

Assim devemos abrir novos mercados e parcerias inclusive para merenda escolar fechando o círculo virtuoso onde crianças e adolescentes precisando melhorar a alimentação consumirão produtos saudáveis da agricultura familiar local gerando mais emprego e renda no campo.

A cidade tem que abraçar o campo como parceiro. Pagar preços justos por uma alimentação saudável.“, conclui Juliano Fujita.

A feira é uma conquista também do consumidor, diz Weslyn Sacabello 

Já o agricultor Weslyn Roberto Scabello afirma que “no começo estávamos duvidosos do que enfrentaríamos, pois a vida no campo é muito corrida e o trabalho sempre pesado, não sabíamos se seríamos capazes de dar conta do desafio que seria e ainda dar sequência nos trabalhos do campo.

Weslyn Roberto Scabello é Agricultor e aluno formando de Engenharia de Produção

Além das oportunidades que a feira trouxe aos produtores, a feira é uma conquista também do consumidor, que agora pode desfrutar de um ambiente diferente e descontraído para fazer suas compras, pagando sempre abaixo do valor comercial por alimentos saudáveis colhidos no mesmo dia.

Segundo Scabello, “para nós produtores está sendo uma grande satisfação poder ter esse contato direto com nossos clientes, estamos aprendendo muito, e ainda temos muito a melhorar. Quem ganhará com isso somos todos nós.”

 

 

 

Deixe um comentário

Por favor, digite seu comentário.
Por favor, digite seu nome