O cartunista, chargista, desenhista e escultor Walter Seufert, mais conhecido como Catuí, faleceu na tarde deste sábado (24) em Valinhos, cidade que escolheu como morada ainda na década de 90.

Nascido em 1930 em Karlsruhe, na Alemanha, Walter iniciou seus estudos artísticos em 1949, ainda na cidade alemã. Em 1955 mudou-se para o Brasil, tendo morado no Rio de Janeiro e em São Paulo, antes de se mudar para Valinhos em 1991.

O nome artístico, Catuí, foi adotado já no Brasil, e significa “índio bonzinho” em tupi guarani.

Um de seus grandes amigos, o artista plástico Genivaldo Amorim lamentou sua morte nas redes sociais:

“Dono de um humor inconfundível, extremamente carismático, querido por todos, vivia em Valinhos desde a década de 90. Teve uma vida super intensa, feliz, viveu alegrias e tragédias (foi um dos sobreviventes do incêndio do edifício Andraus em São Paulo). O conheci em 1996 durante a realização do 1º Panorama das Artes Visuais de Valinhos e com ele vivi incontáveis momentos felicidade, quase sempre em companhia do também artista Alexandre Filiage, geralmente regados a um bom vinho e ótimos papos (foi uma das pessoas mais inteligente que eu conheci na vida).

Estive com ele alguns dias atrás, essas visitas eram sempre doídas, era difícil vê-lo na situação que se encontrava, já muito debilitado.

Estou triste, mas prefiro guardar tudo que vivi com ele, me sinto extremamente privilegiado de ter tido a sorte imensa de conhecê-lo.”

O sepultamento acontecerá às 13h deste domingo (25), no cemitério Parque das Acácias.

Leia também:

Catuí

1 Comentário

Deixe um comentário

Por favor, digite seu comentário.
Por favor, digite seu nome