Estudos encaminhados à Secretaria de Planejamento e Meio Ambiente da Prefeitura, pela Associação de Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos de Valinhos, questionam o encaminhamento da revisão da Lei do Plano Diretor.

Para o Movimento Mobiliza Plano Diretor Valinhos, “os estudos embasados em parâmetros técnicos feitos pela AEAAV – Associação dos Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos de Valinhos, mostram que, além de encontrarem divergências nos apontamentos feitos pela empresa Geo Brasílis quanto às área de vazios urbanos existentes em Valinhos, também demonstrou que, pela quantidade de áreas já urbanizadas (lotes já com infraestruturas como saneamento básico e ruas asfaltadas), pelos próximos 10 anos Valinhos não vai precisar nem verticalizar (prédios) e nem expandir a urbanização por sobre áreas rurais. Basta criar mecanismos de incentivos de ocupação e aproveitamento dos existentes.”

O “Mobiliza” lamenta que esse estudo, que foi protocolado em fevereiro de 2020 na Prefeitura e também encaminhado ao Ministério Público, Promotor Dr. Rodrigo Garcia Sanches, não tenha sido levado em consideração pelo Poder Executivo.

A Minuta de revisão das Leis continua contemplando as mesmas intenções iniciais de aumentar em mais de 37% as áreas urbanas do município.

Isto ratifica as denúncias tornadas públicas pelas entidades da sociedade civil, que acompanham o processo de revisão do Plano Diretor de Valinhos, de que as opiniões da população, apresentadas nas audiências públicas não são consideradas pela empresa contratada para desenvolver os trabalhos, tampouco nas propostas encaminhas pelo governo municipal.

A íntegra do estudo elaborado pela entidade representativa dos engenheiros, arquitetos e agrônomos de Valinhos poder conferida aqui: NOTA DA ASSOCIAÇÃO DE ENGENHEIROS, ARQUITETOS E AGRÔNOMOS DE VALINHOS REVISÃO DO PLANO DIRETOR EM PROCESSO DE DISCUSÃO REUNIÃO REALIZADA EM 21/01/2020 NA PREFEITURA DE VALINHOS

Deixe um comentário

Por favor, digite seu comentário.
Por favor, digite seu nome