Prefeitura afirma que existe uma licitação para contratar empresa de fiscalização eletrônica

Thais Ferrari, especial para o Pé de Figo

A partir de informações recebidas, de que as câmeras de segurança espalhadas por Valinhos não estavam em funcionamento, o Portal Pé de Figo buscou confirmação junto à Municipalidade, que afirma que “as denúncias de que elas estão desativadas não são reais”. Porém, se tratando dos radares de velocidade e das lombadas eletrônicas, a Prefeitura esclarece que no momento não há nenhum aparelho em operação, o que existe são as “carcaças” nos locais que anteriormente contavam com a fiscalização eletrônica. Agora, aguardam licitação para contratar empresa responsável por essa demanda, com prazo para finalizar o processo em até 60 dias.

Prefeitura nega que o monitoramento esteja desativado

De acordo com a assessoria de imprensa oficial, a PMV possui uma rede com mais de 50 câmeras de monitoramento em operação, com estudo de ampliação em andamento. “Além disso, está em fase de licitação, já aberta, a instalação de equipamentos custeados por convênio com o Fundocamp e que vão ampliar o monitoramento por câmeras na cidade”. Esses estudos incluem a avaliação da retomada do programa ‘Escola Protegida Educação Garantida’, que foi implementado em 2015 e deixado de operar no ano seguinte, “na administração anterior”.

Houve tentativa de contato direto com um GCM – Guarda Civil Municipal, que atuava junto à Central de Monitoramento, contudo o profissional – que prefere não se identificar – não obteve permissão para responder os questionamentos, “eu até tentei autorização, mas está difícil e é outra gestão agora né”, justifica.

Câmera do Túnel

Ainda segundo denúncias, as câmeras do túnel de pedestres – que liga a Rua Sete de Setembro à Rua 12 de Outubro, foram retiradas no final do ano passado e até o momento não foram substituídas, “segundo comerciantes do entorno, com a desculpa de que passaria por manutenção; nunca mais foi recolocada”, conta um munícipe. Em contato com a Prefeitura, explicam que os equipamentos, mesmo com proteção para evitar atos de vandalismo, sofreram depredação e as câmeras ficaram danificadas. Posteriormente, o município adquiriu novos aparelhos e os instalou, mas, “na sequência, fortes chuvas causaram um alagamento no túnel e as câmeras novamente foram destruídas, desta vez por ação das águas”, relatam. Por fim, citam novamente o projeto em fase final de elaboração que visa instalar monitoramento por vídeo em diversos “pontos estratégicos do município”, o que inclui o túnel – “um dos pontos contemplados na proposta”, completam.

Situação do município vizinho

Em comparativo com Vinhedo, a cidade de Valinhos tem 15 câmeras de monitoramento a menos em operação. Diferente da resposta da assessoria de imprensa oficial, a SETRANDES – Secretaria de Transportes e Defesa Social da Prefeitura de Vinhedo, relata que os aparelhos são distribuídos em 24 pontos do município. Também esclarecem que as manutenções preventivas são realizadas periodicamente e há poucas semanas iniciaram estudos para abertura de nova licitação de conservação, compondo serviços e peças. Quanto aos radares de velocidade, existem 22 no total e 16 em funcionamento, “são realizados estudos técnicos para levantamentos de locais de instalações”, finalizam.

 

2 Comentários

Deixe um comentário

Por favor, digite seu comentário.
Por favor, digite seu nome