Foi publicado o Ato que compõe a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para apuração dos fatos que envolvem a Cooperativa Recoopera e a Prefeitura Municipal de Valinhos no que diz respeito à desocupação do imóvel locado pela administração municipal e usado pela referida cooperativa. Vão participar da Comissão os vereadores Dalva Berto, Giba (ambos MDB), Aguiar (PSDB);Mônica Morandi (PDT); Edison Secafim (PP). Kiko Beloni (PSB) e César Rocha (rede). Os partidos PV, Dem  e PPS informaram que não irão participar da CPI e o PSDB abriu mão da indicação do segundo membro ao qual teria direito. A CPI terá 90 dias para concluir os trabalhos, seguindo o regimento interno, e os cargos de presidente e relator devem ser preenchidos após a primeira reunião dos parlamentares.

Segundo dados divulgados pela Prefeitura em comunicado oficial lido pelo presidente em sessão há algumas semanas, a administração municipal aluga desde setembro de 2013 um imóvel particular ao custo mensal de R$ 12 mil que era usado pela cooperativa como barracão de separação e destinação do lixo reciclável. Diante do término do contrato de cessão de uso do imóvel alugado, em fevereiro de 2016, e de sua não renovação, a Prefeitura e a Recoopera teriam entrado em uma série de tentativas de acordo para manutenção do trabalho, o que não foi possível por diferentes fatores alegados por ambas as partes. O local foi desocupado, o que gerou desentendimentos entre a administração pública e a cooperativa. E é exatamente essa situação que os vereadores querem averiguar, ouvindo tanto a cooperativa quanto o Poder Público.

Fonte: Câmara Municipal de Valinhos

Prefeitura tenta despejar Recoopera mesmo sem mandado

Caso Recoopera mostra que agentes públicos precisam de uma reciclagem

Deixe um comentário

Por favor, digite seu comentário.
Por favor, digite seu nome