A arte de Cécile Lelu venceu o concurso Pé de Figo 100 mil

Cécile Lelu, ilustradora/desenhista e professora de desenho e pintura é a grande vencedora do concurso Pé de Figo 100 mil. A premiada cursou desenho livre na Casa da Cultura de Valinhos desde os 10 anos de idade.

O Grupo Pé de Figo Sim Senhor ultrapassou nesta segunda-feira (15) a significativa marca de 100 mil membros.

Fundado em 16 de janeiro de 2013, o Pé de Figo se consolida como um dos mais importantes veículos de comunicação não só para Valinhos, mas também para a região de Campinas.

Diariamente, centenas de novas solicitações de entrada são enviadas para o administrador do grupo, vindas das mais diversas localidades, principalmente das cidades que compõem a RMC – Região Metropolitana de Campinas e de outras cidades do Brasil e até do exterior.

Além do grupo, o Pé de Figo tem a fanpage no Facebook com quase 44 mil seguidores e, no Instagram, já são 16 mil.

Notícias, serviços de utilidade pública e fomento dos pequenos comerciantes

Já nos seus primeiros anos de atividade, a página do grupo no Facebook foi alvo de um comentário da tribuna da Câmara de Vereadores: “põe no Pé de Figo (a reclamação) que funciona mais que o 156”, disse o então presidente do Legislativo, Paulo Montero.

De fato, não são poucos os exemplos de busca de animais perdidos e procura de prestadores de serviços solucionados quase que instantaneamente. Da mesma forma, os pequenos comerciantes têm ali uma ferramente importante para divulgação de suas atividades.

Cécile Lelu vence o concurso “Pé de Figo 100 mil”

Cécile Lelu é ilustradora/desenhista e professora de desenho e pintura.

Para comemorar o feito de ter chegado e, na verdade, ultrapassado a marca dos 100 mil membros, foi organizado o concurso “Pé de Figo 100 mil” para ser escolhida a melhor arte de um banner com o tema.

Dentre os 25 trabalhos enviados, foi selecionado o de Cécile Lelu que vai receber o prêmio “simbólico” de R$ 300,00 em dinheiro.

Cécile Lelu, filha de pai francês e mãe brasileira, nascida em Cabo Frio (RJ), em 12 de janeiro de 1987, é ilustradora/desenhista e professora de desenho e pintura no Ateliê SavAnaS.

Trajetória: Cursou desenho livre na Casa da Cultura de Valinhos desde os seus 10 anos de idade. Seu primeiro destaque foi quando ganhou em segundo lugar na Semana d’água aos 13 anos e depois quando foi convidada a retratar oito dos ex-diretores da escola Alves Aranha em Valinhos com intuito de comemorar os 80 anos de aniversário da escola, assim finalizando o ensino médio.

Por volta dos seus 15 e 16 anos realizou um curso mais aprofundado de desenho e pintura com a artista plástica de Campinas, Sonia Regina Piglialarmi.

Frequentava as feiras da Estação aos domingos encomendando retratos e expondo seus desenhos juntamente com os artesãos. Aos 19 anos conheceu o ilustrador cientifico e biólogo Rogerio Lupo que residiu em Valinhos. Realizou o curso de Ilustração Científica e participou de palestras e workshops do primeiro encontro de ilustradores nesta área – 1º EBIC Curitiba 2006.

Nos segmentos procurou trabalhar em Ilustração Paleontológica onde teve a oportunidade de Ilustrar para a Dra. Frésia da Unicamp. Mais tarde, com 25 anos, em 2012, cursou a Graduação de Licenciatura em Artes e em 2015 realizou uma Pós-graduação Latus sensus de História da Arte ambos na Universidade Claretiano.

Durante a faculdade participou da Mostra de arte da Juventude do SESC – Ribeirão Preto e fez estagio de três anos na Secretaria de Cultura e Turismo de Vinhedo – SECTUR, no qual sua função era o registro e conservação de patrimônio histórico e artístico da cidade, e o auxilio no processo de curadoria e monitoria do Salão de Artes Visuais de Vinhedo – SAV.

Em 2018 entrou com suas ilustrações para o SAV na categoria de desenho. Sobre Independente da técnica, lápis grafite, giz pastel óleo sobre tela, procurou sempre retratar o figurativo (aquilo que é possível ser visto no mundo real).

No que se refere ao conceito seguiu uma sequencia durante a sua vida que se iniciou com retratos, desenhando pessoas num formato foto 3×4 (quando a pessoa esta ereta e de frente para a câmera), fazia-os geralmente em papel A4. Devido às feiras, em seguida, começou ilustrar automóveis antigos. Logo após, a partir de quando estudou ilustração Cientifica, se identificou com a área técnica do desenho, realizando cursos de autoCAD, desenho técnico arquitetônico, corelDraw e Photoshop com intuito de interferir em suas ilustrações e fazer novas experimentações.

Deixe um comentário

Por favor, digite seu comentário.
Por favor, digite seu nome