Atirador planejou ação e treinou em casa antes de matar cinco pessoas na Catedral de Campinas

A Polícia Civil encerrou o inquérito sobre a “chacina da Catedral” ocorrida no dia 11 de dezembro de 2018, em que Euler Fernando Grandolpho, residente em Valinhos, se suicidou depois de matar cinco pessoas, após a celebração de uma missa na Catedral Metropolitana de Campinas.

O inquérito concluiu que o o atirador agiu sozinho, sem qualquer tipo de ajuda ou participação de terceiros. Segundo informações preliminares do relatório do inquérito, a Polícia Civil deverá apresentar conclusão de que Euler Grandolpho tinha graves transtornos psicológicos.

A arma utilizada pelo atirador teria sido adquirida no Paraguai, no mercado clandestino e, com a numeração da pistola raspada não foi possível o esclarecimento sobre qual a origem da arma.

No dia 11 de dezembro, Campinas e região foram abaladas pela notícia de que um homem atirou aleatoriamente contra pessoas que acabaram de participar da celebração de uma missa na Catedral. Quatro pessoas morreram no local enquanto outras quatro foram baleadas e socorridas, sendo que uma delas não resistiu aos ferimentos e veio a falecer no dia seguinte.

Deixe um comentário

Por favor, digite seu comentário.
Por favor, digite seu nome