Por João Bissoto

Dando seguimento a minha última coluna, vamos conversar um pouco mais sobre as doenças de frio!

Já falamos sobre as diferenças entre gripes e resfriados, agora é importante falar que NENHUMA dessas doenças é tratável com antibiótico. Apesar de ser muito comum nos pronto atendimentos vermos pacientes que solicitam a prescrição deles, ou mesmo médicos que o fazem sem examinar o paciente, ou passam “por via das dúvidas”.

Precisamos deixar uma coisa bem clara: tomar antibiótico sem necessidade é um RISCO para você e para todos nós!! Você já deve ter ouvido falar em bactérias resistentes ou super bactérias nos jornais né? Pois bem, nós as criamos por usarmos demais os antibióticos sem necessidade e até mesmo por usarmos de maneira errada. Vamos tentar então explicar as coisas certinho.

Antibiótico é um tipo de remédio que mudou completamente a vida da humanidade, mas ele tem apenas um objetivo: matar bactérias! Eles não melhoram tosse, mesmo aquelas com catarro, não melhoram sintomas de sinusite, não tratam diarreia, não melhoram as dores, a não ser que essas doenças sejam causadas por bactérias. Essa é a verdade. Outra verdade é que a esmagadora maioria das doenças, tanto de verão quanto de inverno são causadas por vírus, ou seja, antibiótico não serve para NADA na maioria dos casos. Como saber se a minha doença é causada por vírus ou bactéria? Precisa ser EXAMINADO por um médico. Não é a toa que esses remédios são controlados e precisam de receita médica em duas vias.

O uso errado de antibióticos coloca todos nós em risco.
Tomar antibióticos quando você não precisa, acelera o processo de resistência. Infecções resistentes são mais complexas e difíceis de tratar. Elas podem afetar qualquer um, em qualquer idade e em qualquer país.
Sempre procure a orientação de um profissional antes de tomar antibióticos.

Por que não devo tomar antibiótico sem necessidade comprovada?

Lembra que antibiótico mata as bactérias? Então, com o tempo elas criam mecanismos de defesa contra esses remédios, principalmente com o uso errado ou por menor tempo, e eles param de funcionar e o mais perigoso é que elas sabem como explicar para as outras como se defender. Por exemplo, usamos tanto a Amoxicilina para tratar dores de garganta, sinusites e pneumonias, que hoje quase metade dessas bactérias já não morrem mais com ela. E não é passar o antibiótico mais forte então? Não! Faz muito tempo que não desscobrimos uma nova classe de antibiótico, de modo que talvez estejamos no limite do nosso conhecimento no assunto. Isso significa que já temos algumas bactérias que são resistentes a TODOS os antibióticos que conhecemos, as chamadas super bactérias. Isso é culpa nossa como profissionais e como população.

Por isso é de extrema importância que vocês entendam que o uso errado de antibiótico é um atentado contra a saúde pública! Se você é médico ou dentista, avalie com cuidado a necessidade de prescrever, e se você é paciente primeiro não exija tomar antibiótico e segundo tome exatamente conforme a prescrição, nem mais e nem menos.

Precisamos controlar o crescimento de super bactérias, ou então elas vão nos controlar!

João Bissoto é médico acupunturiatra formado pela UNIFESP, atua como plantonista em hospitais da região e em consultório próprio. Se você tem dúvidas ou sugestão de temas para a coluna, entre em contato pelo e-mail joaobissoto@gmail.com.

Deixe um comentário

Por favor, digite seu comentário.
Por favor, digite seu nome