Por João Bissoto

Essa é uma questão cada vez mais importante, qual serviço de saúde eu devo buscar para solucionar meu problema?

Com a dificuldade de acesso à Atenção Básica (postinhos e centros de saúde), seja por reforma das unidades, seja por falta de médico disponíveis (tendo em vista o descaso do poder público em diversas esferas com a saúde), tenho visto cada vez mais em meus plantões pacientes com doenças crônicas querendo resolver suas questões no pronto socorro. Então vamos conversar um pouco sobre quais serviços de saúde existem e suas funções, porque o uso errado dificulta o bom funcionamento, além de fazer você perder seu tempo.

A Atenção Básica ou Primária é o serviço do médico generalista. Pelo SUS são os postinhos, os centros de saúde e as UBSs, na rede particular são os consultórios dos clínicos e médicos de família. Esse nível de atendimento tem como função acompanhar e investigar as doenças crônicas de baixa complexidade, além de atender as queixas agudas mais simples e sem gravidade, como resfriados, chiado no peito, dores de cabeça, entre outras coisas. É aqui que você vai se tem uma diarreia ou dor de barriga há um mês, ardor para urinar, se precisa renovar alguma receita, se está com um resfriado, ou qualquer problema que tenha mais de umas semanas. É aqui que se pede exames de rotina, que se prescreve calmantes.

Os pronto atendimentos e pronto socorros são os lugares que você procura para tratar de problemas agudos e mais graves. Se você está com alguma dor mais importante, com febre alta, com sangramento nas fezes ou na urina, algum conhecido está com uma confusão mental ou sonolento demais sem motivo ou se tem algum sintoma de infarto ou AVC (vou explicar abaixo), aí você deve procurar esses serviços. E não fique bravo se  o médico tratar seus sintomas e sugerir que você busque um serviço básico para investigar a causa de seu problema, porque o pronto socorro é lugar de gente grave e não tem muitas possibilidades de investigar, como exames, doenças menos graves.

Sinais de Infarto: Dor no peito de forte intensidade tipo um aperto de início súbito, que pode ir para os braços ou para o pescoço, pode vir com suor e palidez.

Sinais de AVC: Desvio da boca, dificuldade para falar, perda de força em um dos lados do corpo. O teste sugerido pelo SAMU para quem não tem experiência na área é o seguinte, peça para a pessoa sorrir, abraçar ou apertar as duas mãos com força e repetir uma frase. É um método simples e eficiente de suspeitar de um AVC.

Se alguma dessas possibilidades te parecer, chame o serviço de emergência pelo número de telefone 192 e conte o que está acontecendo.

O que vejo muito é paciente com a pressão alta porque está sem remédio que vem ao pronto socorro para renovar a receita, ou ainda que vem renovar recita de calmante. Isso atrapalha muito o serviço e atrasa o atendimento de pessoas com doenças graves. Procure a Atenção Primária para esses casos. É comum também ver paciente que quer coletar exames gerais no pronto socorro, como colesterol, ou fazer endoscopia para confirmar que é gastrite ou colonoscopia para avaliar um sangramento crônico nas fezes. Todos esses quadros são de responsabilidade da Atenção Primária e não tem como ser resolvido no pronto socorro. Então além de atrapalhar o serviço, você estará desperdiçando o seu tempo.

Se tem dificuldades com as UBSs e postinhos, você deve cobrar a resolução na prefeitura, bota a boca no trombone, chama a imprensa. Mas por favor, evite atrapalhar os serviços de urgência e emergência. Quando você vê na TV uma fila de 8 horas no pronto socorro ou no UPA, é porque boa parte daquela população deveria estar sendo atendida nos serviços básicos e se eles não funcionam como deveriam é por falta de interesse do poder público. Hoje vemos também essas filas nas redes de convênio médico, porque não se consegue consultas rápidas de encaixe para resolver coisas simples e sobra para os hospitais. Nossa cultura de saúde precisa mudar urgentemente!

Espero ter esclarecido um pouco e vamos usar os serviços corretamente!

João Bissoto é médico acupunturiatra formado pela UNIFESP, atua como plantonista em hospitais da região e em consultório próprio. Se você tem dúvidas ou sugestão de temas para a coluna, entre em contato pelo e-mail joaobissoto@gmail.com.

Deixe um comentário

Por favor, digite seu comentário.
Por favor, digite seu nome