Com custo baixo de manutenção e operação, modelo SmartStore se apresenta como uma alternativa rentável para investidores que buscam uma renda extra


A pandemia da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, afetou drasticamente a economia em nosso país. Segundo dados do IBGE, foram demitidos mais de 1 milhão de brasileiros apenas no mês de maio, fazendo com que muitas pessoas buscassem alternativas para conseguir uma renda extra. A SmartStore, rede de mini mercados em condomínios, torna-se uma opção para esse público, por ser um licenciamento com baixo investimento e tempo de dedicação diário pequeno.

Lançada em março deste ano, por Evandro Machado, a SmartStore já é uma realidade na Região Metropolitana de Campinas. Com um modelo 100% automatizado, o mini mercado traz comodidade para o morador de condomínio, evitando o deslocamento para mercados, diminuindo a possibilidade de contágio da Covid-19. “Com a pandemia e a orientação de sair menos de casa, este modelo de mini mercado entrega a experiência, agilidade e a segurança para os moradores com um deslocamento de poucos metros”, afirma o empreendedor.

Com o cenário de necessidade de complemento de renda, Marcelo Rocha, licenciado de Campinas (SP), buscou na SmarStore uma forma de investimento. “A SmartStore é um modelo muito rentável. Para se ter ideia, em um período de apenas dois meses já recuperei meu investimento de abertura da unidade.” Vale ressaltar que o condomínio não paga taxa de mensalidade para a SmartStore, apenas cede o espaço para o mercado. 

Por ter uma complexidade operacional e tributária baixa e ser instalada em um espaço a partir de 5m², o licenciado pode gerir o mini mercado autônomo reservando duas horas por dias para reposição de estoque, que é sugerido por inteligência artificial de acordo com os itens mais procurados pelos condôminos. Assim, é possível encontrar alimentos, itens de higiene e até vinhos em suas prateleiras. A disponibilidade do estoque pode ser vista em um aplicativo de celular, ele também possibilita que o consumidor faça sugestões de novos produtos para o mercado. 


O pagamento também é automatizado, sendo feito no próprio mercado aproximando o código de barras do produto na leitora instalada no check-out, dispensando a presença de funcionários. “Até mesmo depois da crise, continuará sendo uma solução prática para o condômino, estando aberta 24 horas por dia nos sete dias da semana, para qualquer necessidade imediata de itens básicos sem precisar sair do condomínio”, conclui Machado. 

Com cinco unidades em funcionamento na RMC e mais seis em processo de implantação, a empresa pretende acelerar sua expansão, tendo como objetivo abrir mais 80 unidades nos próximos seis meses. “O modelo SmartStore é rentável para todas as pessoas envolvidas no condomínio. Do ponto de vista do empreendedor é um negócio de extrema segurança e que dispensa dedicação em tempo integral”.

Deixe um comentário

Por favor, digite seu comentário.
Por favor, digite seu nome