Foto: Fabio Cerqueira

A noite desta segunda-feira (17) foi brindada com a abertura do Salão de Artes Visuais de Vinhedo, um dos mais importantes salões de arte do interior paulista, e que, na contramão do que vem acontecendo com outros eventos similares, cresce em relevância ano após ano.

A abertura do SAV 2018 contou com a apresentação do Coral Nota na Guela, também de Vinhedo, sob a regência de Dinamar Depret, e com a presença de autoridades do município, como o Prefeito Jaime Cruz (PSDB) e o recém empossado Secretário de Educação e Cultura – as secretarias de Educação e Cultura foram mescladas na última semana – Gilberto Lorenzon.

Em sua fala na cerimônia de abertura, Gilberto, que substituiu a vice-Prefeita Claudineia Serafim no comando da cultura da cidade, salientou que a vida sem a arte fica mais triste, e que, apesar de não ter qualquer relação com as artes, pretende dar seguimento no investimento que a cultura sempre recebeu na cidade. Já Jaime Cruz, disse que fazer a abertura de um salão é um momento muito especial, pois, apesar de se aventurar como músico, julga não ter a capacidade de transformar sua visão de mundo em uma pintura, como os artistas ali presentes fazem com maestria. Jaime disse também que o papel de uma Prefeitura em relação às atividades culturais de um município deve ser o de promover espaços e oportunidades, além de sistematizar a gestão cultural, para que a cultura possa acontecer de forma natural a partir de cada cidadão.

-publicidade-

Os Salões de Artes são um formato consagrado de exposição de artes visuais em que os interessados se inscrevem e concorrem pela oportunidade de participarem da mostra. A seleção é feita por um júri técnico, e pode incluir, além da seleção das obras que serão expostas, também algumas delas para receberem um prêmio ‘aquisição’, em que a instituição que organiza o Salão compra aquelas obras escolhidas.

E foi justamente isto que aconteceu com o Valinhense Genivaldo Amorim e sua série ‘Por que você não me disse que eu sou assim?’, e também com os vinhedenses Ciano Soares, Rogério Carvalho Silva e JR, respectivamente vitralista/ceramista, escultor e desenhista. O Júri contou com o casal Adélio e Sandra Sarro, além dos professores do projeto de Oficinas Culturais de Vinhedo.

Ao todo, 67 artistas participam da exposição, que ficará aberta ao público até o 11 de outubro no Centro de Exposições e Galeria de Artes “Edilson Caldeira”, que fica sob o Teatro Municipal, e além dos 4 artistas já citados, destacamos também as participações dos artistas valinhenses Cécile Lelu, Jerci Maccari e Boris Aldat, e também dos vinhedenses Eloísa Budney, Marisa Solimeo, Vânia Vergamini, Victor Saravese e Nelson Sagrillo Ferreira.

Deixe um comentário

Por favor, digite seu comentário.
Por favor, digite seu nome