A Prefeitura de Valinhos participou, na última quarta-feira (24), de reunião com 42 cidades da região para debater orientações frente a casos suspeitos de sarampo e realizou na quinta feira (25) reunião técnica com os profissionais de saúde das Unidades Básicas de Saúde (UBSs), Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e dos hospitais da cidade para repassar as informações. Segundo a diretora de Saúde Coletiva de Valinhos, Cláudia Maria dos Santos, pacientes suspeitos de sarampo devem ter atendimento prioritário nos prontos atendimentos e, quando há suspeita da doença, a Secretaria de Saúde promove bloqueio, vacinando todas as pessoas que tiveram contato com o paciente em até 72 horas.

A vacina, disse Cláudia, é a medida mais eficaz de combate ao sarampo.

Valinhos tem vacina contra o sarampo disponível em todas as UBSs. Segundo Cláudia, menores de 29 anos devem tomar duas doses da vacina e os maiores de 29 anos, uma dose. “Se a pessoa estiver em dúvida, o mais indicado é se vacinar”, disse.

Valinhos não tem nenhum caso de sarampo confirmado. De acordo com a diretora, este ano Valinhos registrou cinco notificações de sarampo, sendo que três pacientes são de Campinas. Dessas cinco, duas foram descartadas e três estão aguardando resultados. As que ainda estão em investigação referem-se a dois pacientes de Campinas e um de Valinhos.

Na região, 20 cidades têm 93 casos notificados de sarampo e 10 confirmados, nas cidades de Campinas, Sumaré, Hortolândia, Indaiatuba e Jundiaí. A confirmação é feita através de sorologia, secreções da nasofaringe e urina. Cláudia explicou, no entanto, que o bloqueio deve ser feito assim que há notificação, ainda que não haja confirmação da doença.

A imunização contra o sarampo é feita com a vacina tríplice viral, que protege também contra rubéola e caxumba. O esquema vacinal é de uma dose aos 12 meses, com reforço aos 15 meses. “Os pais devem ficar atentos ao calendário e vacinar seus filhos. O sarampo havia sido controlado na região justamente porque houve uma grande cobertura vacinal. À medida em que a vacina deixa de ser aplicada, a doença volta”, explicou Cláudia.

Os sintomas do sarampo são febre, manchas vermelhas no corpo, tosse, coriza e conjuntivite. Os sintomas podem não aparecer todos ao mesmo tempo. As complicações do sarampo podem deixar sequelas, como diminuição da capacidade mental, cegueira, surdez e retardo no crescimento. O agravamento da doença pode levar à morte de crianças e adultos.

Campanhas

Valinhos realizou duas campanhas contra o sarampo nos últimos cinco anos. Na campanha de 2014 foram aplicadas 4.304 doses da vacina em crianças de 6 meses até a véspera do aniversário de 5 anos. Na campanha do ano passado, contra poliomielite e sarampo, 4.106 crianças foram vacinadas, cobertura vacinal de 80,73% do público-alvo.

Fonte: PMV

Deixe um comentário

Por favor, digite seu comentário.
Por favor, digite seu nome