Fernando Pozzuto expõe a situação da Santa Casa de Valinhos no combate ao Coronavírus

“Sobre o número de atendimentos até o momento, Fernando disse: São 132 pacientes atendidos com suspeita de Corona Vírus, 84 altas, 55 testaram negativos, 21 positivos, 8 em análise”.

Por mais de duas horas, o Superintendente da Santa Casa de Valinhos – Fernando Pozzuto fez uma apresentação do Relatório de Enfrentamento da Pandemia COVID-19 na Sessão da Câmara Municipal, na terça-feira, 26 de maio, esclarecendo os protocolos, as medidas, gastos e principalmente as falsas notícias que constantemente são veiculadas pelas redes sociais.

De forma clara e transparente, Pozzuto apresentou detalhadamente todas as ações realizadas na estrutura física, medicação, EPIs, sobe os testes do coronavírus, falou sobre  a queda dos atendimentos e consequentemente a queda de receitas, só para se ter uma ideia um comparativo de abril de 2019 para abril de 2020, o atendimento no ambulatório eletiva através do SUS foi uma queda de 100%, também na internação, o comparativo no mesmo período foi de 38%, cirurgias SUS realizadas, queda de 58%, Cirurgias SUS de urgência, queda de 11%.

Ainda durante a sua explanação sobre o número de atendimentos até o momento, Fernando disse: São 132 pacientes atendidos com suspeita de Corona Vírus, 84 altas, 55 testaram negativos, 21 positivos, 8 em análise”.

“Pensamos na segurança de nossos colaboradores, estamos oferecendo todos os equipamentos de Proteção, treinamentos e passando por acompanhamento de nosso serviços de Medicina do Trabalho.  A Santa Casa tem 496 funcionários, até agora 90 foram testados com objetivo de fazer a seleção e o afastamento em caso de testar positivo, como aconteceu com 46 funcionários que foram afastados, recebendo apoio psicológico, muitos estão recuperados, oito já retornaram”.

Antes da pandemia a Santa Casa tinha 496 funcionários, 470 ativos. Hoje 58 afastados, ativos com restrição 23, grupo de risco mais férias são dois, portanto hoje são 338 funcionários ativos.

“Estamos com queda na arrecadação e aumento de nossos custos, as máscaras que são utilizadas pelos nossos profissionais, antes usávamos cerca de cinco mil no mês com um custo de R$0,11 cada, hoje ela custa R$2,50 e o número passou para 15 mil no mês; gastávamos R$ 550,00 mil no mês e hoje gastamos R$ 37.500,00 da mesma forma os gastos com aventais descartáveis e outros equipamentos necessários. Felizmente recebemos muitas doações que tem nos ajudado muito”.

Fernando informou que a Santa Casa dispõe de 28 leitos de UTI e a possibilidade de adequação para mais seis, perfazendo um total de 34 leitos, mas para isso precisa de apoio financeiro.

Com relação aos custos Fernando Pozzuto explicou que a Santa Casa tem um custo médio fixo para o atendimento ao SUS de R$2.500.000,00, o faturamento SUS do mês de abril está previsto em R$1.700.000,00, apresentando um déficit financeiro. Não houve os atendimentos eletivos mas a equipe estava lá para atender o paciente SUS de urgência e emergência e principalmente os de Coronavírus

Um ponto bastante polêmico foi com relação a verbas parlamentares enviadas por deputados e que até hoje não foram liberadas pelo Fundo Municipal de Saúde. O nosso Departamento de Captação de Recursos foi a Brasília, bateu de porta em porta dos deputados, conseguiu verbas, assim como vereadores conseguiram, mas elas não chegam até a Santa Casa, como as verbas de Carlos Sampaio, Mara Gabrili, Vicentinho que por questões burocráticas da Prefeitura não são liberadas.

“Conversei com o Prefeito Orestes Previtalli e ele disse que vai se empenhar para a liberação das verbas. Temos verba de R$310 mil para reforma da UTI de forma definitiva mais R$100 mil para insumos e equipamentos Também tem uma verba do Governo Estado no valor R$1.016.000,00 direcionada ao município para aplicação nas ações do COVD -19 e nada mais justo que esse valor seja direcionado à Santa Casa, tem outra verba do Governo Federal no valor de R$809 mil que veio dobrada como se fosse um 13º, mais R$ 192 mil foram destinada  para a Santa Casa e Hospitais Filantrópicos que deve chegar nesses dias, aprovado pelo Senado  especificamente para atender o COVID e socorrer o déficit”.

Fernando Pozzuto também apresentou os números do Fundo Cívico que até agora arrecadou R$72.564, 24, foram gastos R$20.298,52 e o saldo é de R$52.265,72.

Vários vereadores fizeram questionamentos sobre os protocolos de atendimento do COVID-19, ações com a Secretaria de Saúde. Edson Secafim perguntou se a Santa Casa recebeu respiradores e a resposta foi a negativa do Superintendente.

Vereador Gilberto Borges também questionou sobre as verbas que não foram liberadas e se os familiares dos testados positivos para o coronavírus foram testados? Fernando Pozzuto respondeu que os pedidos de liberação das verbas estão todas protocoladas e sobre as famílias quem faz o acompanhamento é a Vigilância Epidemiológica

“Quanto as verbas ficamos preocupados porque o hospital continua atendendo as outras comorbidas além do COVID-19. A ocupação com pacientes com suspeita de Corona  Vírus  no  hospital começou a ser feita com poucos pacientes, estamos fazendo o isolamento nas enfermarias , de acordo com a demanda estamos nos preparando para realizar os isolamentos em corte , colocar dois em cada quarto,  positivo/positivo; negativo/negativo, suspeito leve  com suspeito leve para preparar o hospital e suportar o pior.

Giba perguntou sobre o afastamento dos funcionários se prejudicou a Santa Casa e Fernando respondeu que todos estão empenhados em fazer o melhor, são parte de uma categoria que não teve quarentena por isso agradeço a todos.

Também Henrique Conti questionou sobre as verbas para combate ao COVID e nada foi para a Santa Casa, verba federal de R$14.500.000,00, desses R$12.600,000,00 para aplicar na cidade e R$1.800.000,00 para o COVID-19, também a Câmara devolveu ao município R$500.000,00 e têm que ir para a Santa Casa.

Luiz Mayr Neto perguntou sobre a desinfecção e todas as medidas adotadas, parabenizando o trabalho realizado no hospital. Da mesma forma o vereador Franklin Duarte, que reafirmou a falta de diálogo da administração municipal. “As verbas já citadas não são da Prefeitura, elas tem Plano de trabalho, por isso foram aprovadas”. Fez um apelo a todos os vereadores para juntos formalizarem um pedido através da Comissão de Saúde para a liberação dos recursos para a Santa Casa de Valinhos.

Finalizando o vereador César Rocha perguntou sobre o protocolo de atendimento do COVID-19 e Scupenaro que presidiu a sessão disse que está encaminhando indicação para criação de canal de apoio aos profissionais de saúde e que dos 14 milhões que serão destinados ao município, que parte seja aplicado na realização das cirurgias eletivas.

Fernando Pozzuto concluiu informando que a Santa Casa está implantando o Centro de Oncologia,  concluindo o setor  de Imagens próprio  e Centro Oftalmológico que vão contribuir para a sustentabilidade do hospital e espera  que após a  pandemia estes novos serviços possam ser utilizados normalmente para os usuários e pacientes de Valinhos recebam estes atendimento com qualidade e mais conforto e comodidade.

Fonte: AR2

Deixe um comentário

Por favor, digite seu comentário.
Por favor, digite seu nome