Um motorista avançou com o veículo sobre moradores de uma ocupação do Movimento Sem Terra (MST) em Valinhos (SP) na manhã desta quinta-feira (18) e matou um homem de 72 anos. O grupo fazia uma manifestação no momento da ocorrência. Outras cinco pessoas, entre elas um jornalista que gravava o ato, ficaram feridas. O motorista fugiu.

Polícia Militar e Guarda Municipal estão no local. O suspeito ainda não foi localizado. O trânsito ficou bloqueado no trecho até as 11h15 e foi liberado.

Segundo o advogado da ocupação “Marielle Vive”, Alfredo Bonardo, por volta das 8h os moradores pediam fornecimento de água e assistências escolar e de saúde para a Prefeitura de Valinhos durante o protesto na Estrada dos Jequitibás, onde ficam as moradias. Entregavam folhetos a quem passava pelo local para expor a situação dos habitantes.

A estrada é de mão dupla e estava bloqueada durante a panfletagem. Foi quando uma caminhonete preta se aproximou pela contramão em alta velocidade, informou o advogado.

Aproximadamente 400 pessoas participavam do ato, segundo Bonardo, sendo metade concentrada na pista. Os manifestantes tentaram ir atrás do assassino, mas o motorista mostrou que estava armado, informou o advogado.

Idoso de 72 anos não resistiu aos ferimentos e morreu

Entre os atingidos, um idoso foi socorrido de ambulância até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Valinhos, mas morreu, segundo confirmou o Corpo de Bombeiros. A morte também foi confirmada em nota enviada pela direção estadual do MST São Paulo.

 O jornalista, que estava a serviço do MST, teve ferimentos e foi levado para a UPA pelos próprios moradores, onde passará por exames.

Os demais tiveram ferimentos leves durante a confusão e não chegaram a ser levados a unidades de saúde.

Nota do MST 

Na manhã desta quinta-feira (18), as famílias do Acampamento Marielle Vive em Valinhos (SP), integrantes do MST realizavam uma manifestação com entrega de alimentos na Estrada do Jequitibá, Km 07, em frente ao Acampamento, quando foram surpreendidas por um homem com uma caminhonete em alta velocidade que jogou o veículo contra os manifestantes. Existem vários feridos e uma pessoa infelizmente foi a óbito, o senhor Luiz.

A manifestação tinha como objetivo uma questão humana básica: pressionar a prefeitura por fornecimento de água. As famílias também lutam pelo direito de Reforma Agrária.

O Acampamento conta com mais de mil famílias e existe desde o dia 14 de abril de 2018 na Fazenda Eldorado Empreendimentos Ltda.

Exigimos punição imediata a este assassino, que age sob o clima de terror contra os movimentos populares, incentivado por autoridades irresponsáveis que estão no governo brasileiro.

 Fonte: G1
Veja também:

2 Comentários

Deixe um comentário

Por favor, digite seu comentário.
Por favor, digite seu nome