-publicidade-

Professor Wellington Strabello

No último final de semana, dias 1 e 2 de dezembro, o município de Valinhos foi a sede do 1º Festival de Agroecologia e Ecoturismo do Leste Paulista, dando, assim, um passo fundamental para se tornar referência nacional na promoção de atividades que consigam aliar o desenvolvimento e a preservação dos recursos naturais, quais sejam, a agroecologia e o ecoturismo.

Vale destacar que o evento não contou com apoios governamentais, isto é, foi totalmente organizado por atores, entidades e instituições da sociedade civil. Destacamos entre elas, a Associação de Agricultura Natural de Campinas e Região (ANC), a Rede Livres de produtores orgânicos, o Sindicato dos Químicos Unificados e o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra. O evento também contou com o apoio de importantes instituições da região, como a UNISOL, a EMBRAPA, a FETQUIM, a AMESAMPA, a AMATER e a NEAES.

-publicidade-

Aberto ao público, as atividades ligadas ao evento ocorreram no Centro de Formação e Lazer do Sindicato dos Químicos Unificados (CEFOL), situado na Rodovia Dom Pedro I, na altura do km 118, no bairro dos Lopes.

Valinhos sediou o 1º Festival de Agroecologia e Ecoturismo do Leste Paulista

Em sua rica programação, foi possível participar da feira de produtores familiares e orgânicos, vindos de diferentes regiões do estado e de outras localidades do país.

Também foram realizadas diversas oficinas, como as de pães orgânicos, de criação de abelhas sem ferrão, de agroecologia para iniciantes, de construção de polos de ecoturismo, de comercialização de produtos da agricultura familiar, de alimentação saudável, de introdução de plantas alimentícias não convencionais (PANC), entre outras. Mesas redondas e de debates fizeram parte da grade e contaram com a presença de importantes técnicos da área, com destaque para os pesquisadores Afonso Peche Filho (Instituto Agronômico de Campinas/IAC) e João Carlos Canuto (EMBRAPA) e José Maria Gusman Ferraz (UNICAMP).

Aventuras, trilhas e caminhadas foram algumas das atrações do festival

Ao longo da programação, também ocorreram reuniões de trabalho para a articulação de produtores do sistema agroecológico, com vistas à ampliação das redes de comercialização de produtos orgânicos e da agricultura familiar. Fechando a grade, nos dois dias de evento foram realizadas as trocas de sementes crioulas (sementes tradicionais) pelos produtores e interessados, a organização de trilhas ecológicas pela Serra dos Cocais orientados pela Associação de Guias e Monitores amigos do Vali e com o plantio de mudas nativas da Mata Atlântica, orientados pelo técnico agrícola Juliano Fujita. No sábado, dia 1º, ocorreu o show do artista Pereira da Viola, cantador, violeiro e compositor brasileiro nascido em Teófilo Otoni, nordeste de Minas Gerais e que faz pesquisas da cultura popular pelo Vale do Jequitinhonha, uma atração à parte e que ajudou a demarcar o caráter do evento.

Localmente, o evento foi fundamental para fortalecer a compreensão de que o município de Valinhos, inserido em uma das principais áreas metropolitanas do país, tem condições de se tornar uma referência em produção agroecológica e de outras modalidades de produção orgânica e de base familiar. Também foi um importante marco na defesa da criação de um polo de ecoturismo abrangendo a região da Serra dos Cocais, como uma opção ao atual modelo de desenvolvimento que o município trilhou nas últimas décadas – marcado pelo avanço da especulação imobiliária e a consequente conversão de importantes áreas verdes e rurais em novos condomínios e loteamentos.

Como desdobramento prático das atividades ligadas ao evento, os organizadores entregaram certificados de produtores orgânicos para algumas famílias de Valinhos e região, que passaram por todas as etapas do processo de certificação, desde 2016, e a criação de uma “Escola de Agroecologia” que ficará sediada no CEFOL, à partir do 1º semestre de 2019. De quebra – e para a nossa imensa alegria, anunciaram que o 2º Festival ocorrerá novamente em Valinhos, no 3º trimestre do ano que vem, e que a programação será ainda mais diversificada.

Saiba mais sobre o Agroecologia no Circuíto das Frutas AQUI

Conheça o trabalho do Professor Wellington Strabello AQUI

Wellington Strabello é geógrafo e professor nas redes pública e particular de Valinhos e Campinas

1 Comentário

  1. Maravilhoso!
    Porém Fica a dica para tentar trazer o evento para um local perto do centro da cidade, com facilidade de acesso para os diversos chacreiros da cidade e da região.

Deixe um comentário

Por favor, digite seu comentário.
Por favor, digite seu nome