Minutos antes da reunião, alguns vereadores fizeram consultas nas redes sociais para avaliar a repercussão da medida, outros fizeram publicações nas mesmas redes comemorando o resultado, logo após a votação.

Os vereadores rejeitaram por unanimidade, na sessão desta terça-feira (19), o projeto de lei encaminhado pelo prefeito Orestes Previtale (DEM) que pretendia antecipar os feriados de Corpus Christi e Consciência Negra para os dias 26 e 27 deste mês. A intenção do Executivo valinhense era criar um feriadão prolongado na cidade para tentar aumentar o isolamento social.

A Assembleia Legislativa vota nesta quarta-feira à tarde a antecipação do feriado estadual da Revolução Constitucionalista para segunda, dia 25.

O projeto foi enviado pelo prefeito em regime de urgência e foi incluído na pauta de votação no mesmo dia.

Logo no início da sessão, a presidente da Câmara, vereadora Dalva Berto (MDB), se posicionou contra a mudança de data dos feriados. “As decisões deste momento devem sim ser tomadas com rapidez, porém não no afogadilho ou no atropelo. Pergunto: as igrejas católicas que têm essa celebração de Corpus Christi com importância respeitosa foram consultadas sobre essa mudança? Houve diálogo com os padres de Valinhos? (…) E as indústrias vão trabalhar no feriado? Vão parar? Como fica a questão trabalhista? Os bancos? Foi consultado? Enfim, uma série de pontos que precisam ser debatidos”, afirmou.

A discussão do projeto ocorreu no mesmo dia em que Valinhos atingiu a marca de 100 casos positivos de coronavírus confirmados e no Brasil, pela primeira vez, o número de mortes ultrapassou a casa de mil em 24 horas.

As manifestações contrárias ao “feriadão” dão conta de que a medida é inócua e seria oportunismo do Governador do Estado, ao jogar no colo dos prefeitos a responsabilidade da decisão.

Minutos antes da votação, alguns vereadores fizeram consultas nas redes sociais para avaliar a repercussão da medida, outros fizeram publicações nas mesmas redes comemorando o resultado, logo após a votação.

Ciência

Em nota, a assessoria de imprensa da Prefeitura comentou a rejeição do projeto dizendo que “o objetivo da proposta da Prefeitura para antecipar os feriados era de cuidar dos doentes e evitar novas contaminações.”

Segundo a Secretaria da Saúde, a decisão de enviar o projeto de antecipação dos feriados para a Câmara foi tomada com base na ciência e na medicina e tem como objetivo salvar vidas e evitar superlotação das UTIs em Valinhos.

Com a negativa dos vereadores à antecipação dos feriados, o projeto foi arquivado.

Fonte: CMV

Deixe um comentário

Por favor, digite seu comentário.
Por favor, digite seu nome