Comercialização de produtos e atendimento veterinário podem permanecer abertas ao público, mas os serviços de banho e tosa estão proibidos pelo decreto.

Em mais uma operação de fiscalização nos estabelecimentos comerciais, a Vigilância Sanitária de Valinhos interditou nesta quinta-feira (30) os serviços de banho e tosa de dois pet shops, nos bairros Paiquerê e Vila Santana.

Os estabelecimentos funcionavam em discordância com os decretos Estadual e Municipal, que tratam sobre a quarentena e o fechamento dos comércios e estabelecimentos não essenciais no enfrentamento ao coronavírus.

Comercialização de produtos e atendimento veterinário podem permanecer abertas ao público, mas os serviços de banho e tosa estão proibidos pelo decreto.

“Os dois pet shops já tinham sido orientados pela equipe da Vigilância a cessarem o serviço de banho e tosa, mas continuaram descumprindo as determinações. Hoje, com base em várias denúncias, voltamos e lacramos apenas o serviço. Se voltarem a descumprir, teremos que lacrar o estabelecimento”, alertou o coordenador da Fiscalização Sanitária, Francisco Souza.

Durante a operação, a equipe da Vigilância verificou dois bares no centro da cidade, nas ruas 13 de Maio e 21 de Dezembro, que estavam com as portas abertas, também funcionando irregularmente. “De pronto os proprietários dos bares fecharam os estabelecimentos assim que chegamos e pedimos para cessarem as atividades”, contou Francisco.

Pelo Decreto Municipal de nº 10.373, de 23 de março (saiba mais pelo link: http://www.valinhos.sp.gov.br/sites/valinhos.sp.gov.br/files/boletins/20…) e que segue determinação do Governo do Estado de São Paulo para todos os 645 municípios paulistas, ficam mantidos os serviços essenciais, como Saúde pública e privada, segurança pública e abastecimento de água.

Só podem ficar abertos hospitais, clínicas médicas, farmácias, clínicas odontológicas, supermercados, hipermercados, padarias e açougues, além de callcenters, bancas de jornais, lojas de pet shop (sem o serviço de banho e tosa), serviços de transportes e indústrias. Restaurantes e bares só podem funcionar em sistema de entregas e os clientes não podem consumir produtos dentro dos estabelecimentos.

Distanciamento em filas

“Nesta operação também fomos às duas agências da Caixa Econômica Federal por conta da aglomeração nas longas filas das pessoas que foram sacar o auxílio emergencial do Governo Federal. Orientamos os funcionários e os gerentes para que organizem as filas observando o distanciamento mínimo entre as pessoas de dois metros”, explicou o coordenador.

A orientação integra as medidas complementares da Secretaria da Saúde, que por meio de Notas Técnicas estabeleceu uma série de ações para prevenção à proliferação do Coronavírus (Covid19) no Município.

Uma das importantes recomendações é para que a população em geral use máscara facial quando precisar sair de casa.

“Temos percebido que boa parte da população e alguns comércios não estão seguindo as recomendações do Ministério da Saúde e OMS. É de conhecimento de todos que o uso da máscara, o distanciamento entre as pessoas e o isolamento social são fundamentais para impedir o avanço da doença”, alertou Souza.

O trabalho de orientação e fiscalização é mantido inclusive aos finais de semana. Em caso de descumprimento, os estabelecimentos estarão sujeitos às penalidades previstas em legislações vigentes.

Fonte: PMV

Deixe um comentário

Por favor, digite seu comentário.
Por favor, digite seu nome